Passo-a-passo para diagnosticar e preparar um plano estratégico de restauração florestal para o Brasil em 120 dias

Pesquisado e publicado por 

1. PLANO DE TRABALHO

1. Pesquisas de dados secundários sobre a cadeia da restauração florestal (PERF) nos municípios de referência e produção do diagnóstico preliminar / Ao longo de 20 dias, em 60 horas de trabalho em escritório, Skype e telefone.

1.1. Reunião com os colaboradores da proposta para apresentar as interpretações preliminares e o potencial formato do PERF;

1.2. Leitura da bibliografia relacionada ao funcionamento da cadeia localmente, bem como o recebimento de documentos que não foram publicados e possuem valor para compor o diagnóstico;

1.3. Solicitação de dados oficiais junto aos órgãos públicos municipais e estaduais para compor o diagnóstico final e embasar o PERF;

1.4. Análise de imagens de satélite Para detecção de áreas desmatadas e produção de mapas preliminares de passivo ambiental dos municípios de referência;

1.5. Relatório do diagnóstico preliminar com descrição do seu funcionamento, atores, preocupações e aspirações.

2. Levantamento de dados primários junto aos atores públicos e privados envolvidos com a cadeia produtiva do reflorestamento / Ao longo de 40 dias, sendo uma semana de preparação do material, uma semana de campo por município e uma semana e meia de tabulação, análises e relatoria, totalizando 180 horas.

2.1. Preparação e validação de formulários de pesquisas para realização das entrevistas junto aos atores envolvidos ou potencialmente envolvidos com as demandas e as ofertas de serviços e produtos relacionados ao funcionamento da cadeia da restauração;

2.2. Estruturação de agenda de campo por meio de ofícios, telefonemas e e-mail junto aos atores locais e regionais;

2.3. Organização do Workshop com os principais atores para apresentar a proposta do diagnóstico e a versão potencial do PERF e da ferramenta digital para integração dos atores envolvidos, discutir gargalos, resultados esperados e oportunidades dentro da cadeia nos diferentes municípios;

2.4. Visitas técnicas em viveiros, lojas de insumos, centros de pesquisas, comerciantes de sementes e mudas, empresas de reflorestamento, implantação e manutenção de projetos silviculturais, órgãos licenciadores e de ATER;

2.5. Visitas em áreas com implantação de sistemas agroflorestais e silviculturais com potencial de reaplicação local;

2.6. Organização da oficina com os principais atores regionais para construir, analisar e elencar prioridades das ações do PERF em curto, médio e longo prazo no território e mapeamento participativo das áreas prioritárias à restauração, respeitando as determinações e prazos estabelecidos pelo Código Florestal e pelo Decretos Estaduais.

2.7. Relatório descritivo das atividades do item 2;

2.8. Digitalização e encadernação dos formulários de pesquisa preenchidos.

 

3. Descrição e modelagem do potencial de restauração municípios referência e do tempo estimado para sua realização com base em diferentes cenários de custos atuais e investimentos em infraestrutura / Ao longo de 30 dias, totalizando 120 horas em escritório e conduzindo comunicações com os técnicos envolvidos.

3.1. identificação da área a ser reflorestada com base nos resultados dos itens 1.4, 2.6 e na legislação vigente, realizada com apoio de análises de paisagem e produção de mapas feitas com o software QGIS e metadados de parceiros;

3.2. Definição das variáveis dependentes para o reflorestamento com base nos levantamentos preliminares e pesquisas em campo: legislação, passivo ambiental em APP e RL, custo de mudas, custo de sementes, custos de plantio e manutenção, custo de insumos e logística, e a resiliência da paisagem etc.

3.3. Produção de documento tipo nota científica, com ilustrações em mapa, linha do tempo e infográficos sobre o potencial de restauração na região de estudo destacando os principais aspectos positivos para sua efetivação e desafios a serem superados.

4. Desenvolvimento de Plataforma Estratégica de Restauração Florestal – PERFonline Base integradora dos atores envolvidos com a cadeia da restauração e os consumidores desses produtos e serviços (agricultores e produtores rurais) visando a superação de gargalos identificados nas etapas 1 e 2, descritas acima / Ao longo de 20 dias em 120 horas, com acompanhamento da evolução do trabalho pela internet no endereço online da plataforma.

 

4.1. Programação e design web do arranjo para articular e dar visibilidade aos setores produtivo e ambiental da restauração (PERF);

4.2. Nota técnica sobre o funcionamento da PERF e as expectativas oriundas da conexão da cadeia produtiva da restauração florestal proporcionada pela PERFonline, seus desdobramentos em modelos de restauração mais integrados e eficientes, inovação tecnológica por meio de Big Data, sistema de gerenciamento do conhecimento, atratividade para comunicar e captar recursos e escalabilidade geográfica e econômica em curto, médio e longo prazo;

5. Publicação do banco de dados do diagnóstico na PERFonline / 5 dias, 40 horas – Aplicação do banco de dados da cadeia produtiva da restauração categorizada por atores e detalhadas com informações específicas de contatos, demandas e ofertas e geolocalização.

6. Workshop para apresentar aos envolvidos a versão final do PERF e próximos passos para sua implementação / 4 dias, sendo 16 horas presenciais no local do evento e 16 horas de conclusão do relatório em escritório – total 32 horas;

6.1. PERF publicado em linguagem acessível e amplamente divulgado entre os atores sociais envolvidos;

6.2. Workshop esclarecedor e integrativo, visando animar a rede de restauração florestal regional, tendo como ponto de partida o PERFonline.

 

 

Com estes seis passos é possível realizar uma primeira parte de uma restauração florestal. Os próximos passos podem ser planejados para levantar dados complementares, criar e validar junto aos atores módulos da PERFonline para facilitar o funcionamento da cadeia produtiva da restauração. Com esses módulos seria possível garantir que cada ator tenha um usuário e senha para criar conteúdo e anúncios digitais referentes ao funcionamento da cadeia.

Por sua natureza inclusiva, a PERFonline possibilitará que os novos atores que surgirem após a PERF se insiram na Plataforma e tornem suas demandas e ofertas visíveis aos demais atores da cadeia, tornando o PERF sempre atualizado. Projetando os resultados em longo prazo, a PERFonline pode ser incrementada para ser o marketing place[1]da restauração florestal ao facilitar que os elos comerciais e seus clientes da cadeia movimentem com segurança e agilidade milhões de reais em produtos e serviços pela internet. Como efeito, o resultado de uma ferramenta web apresentada poderia dar origem ao Big Data brasileiro da restauração florestal.

Portanto, os próximos passos propostos aqui são para essa nova geração de restauradores florestais brasileiros utilizarem as tecnologias da informação e da comunicação para fazerem negócios alinhados com as melhores expectativas de uma sociedade que valoriza inovação, transparência, práticas sustentáveis e a floresta em pé.